28 de março de 2016

Na minha porta não batem mais.

Abby: (...)És como os deuses. Alguns duvidam da existência deles mas, em caso de aperto, é a eles que todos pedem ajuda.
 
G: É assim tão mau eu mesmo assim ajuda-las ? Mesmo que saiba que só voltaram para o mesmo e se voltarem?
 
Abby: É. Estás a ser burra. Ter coração mole não pode justificar todas as nossas burrices. Gostava que me tivessem dito isto a mim muitas vezes sabes? Gostava de muitas vezes ter tido a coragem de ter fechado a porta a muita gente. Foda-se. Se isto é ser fria? Não. Isso é o que nos dizem para nos fazerem sentir mal, é uma forma de atirarem o peso que vai na consciência deles, atirando-o para nós. A vida é um jogo, temos de saber dizer sim...e não. Temos de saber quando é altura de entrar no jogo, apostar, mas sabermos parar quando estamos a perder tudo o que nos resta. Sobretudo quando o "tudo" se trata da nossa dignidade. Porque sabes? A dignidade é daquelas coisas que só tens em vida. Ninguém morre com dignidade.
 
G: Porquê é que eu te sinto zangada quando leio isto? Sinto-te magoada.
 
*Silêncio*
 

1 comentário:

  1. Sinto que o G te magoou muito... Ou estarei eu errada?
    Se assim for, acredita que ele não merece nem um pedacinho da pessoa fantástica que és.
    Beijinhos :)

    ResponderEliminar