29 de junho de 2016

Eterna companheira,

Tu não és a típica adolescente revoltada com o mundo, com os rapazes, com as amigas, com amigas do namorado...sei lá! As tuas preocupações não passam por aí. É isto que me faz gostar tanto de ti mas, é também isto, que me assusta em ti. Tenho medo que te magoem tanto que percas essa tua inocência, essa tua singularidade. Porque sabes, é ela que te deixa ser feliz. Quando deixamos de ter fé, quando passamos a desconfiar de tudo e todos, a felicidade acaba. Por alguma razão as crianças são sempre mais felizes que os adultos.
Hoje, enquanto víamos o vídeo que fizemos para ti e enquanto te cantávamos os parabéns...eu só queria agarrar-me a ti a chorar. Mas eu não sou assim, não é verdade? Eu serei sempre aquele "cubo de gelo". Pelos menos á frente dos outros. De todas aqueles pessoas eu sei que és tu a verdadeira. Eu sei que é a ti a quem devo MUITO. Sei que és tu, com os teus dezasseis anos, me forças a abrir os olhos diariamente. Gostava de um dia te poder dizer o quão especial és para mim e o bem que me fazes. Se te fosse a confessar as vezes em que sentia o mundo desabar, e que tu, sem saberes, tornavas o meu mundo melhor... Precisava da vigésima-quinta hora.
Desculpa se não sou a amiga que tu mereces, desculpa se nem sempre te ouço, desculpa se viro este o outro mundo de pernas para o ar e te levo á frente.
Quero que saibas que apesar de não o prenunciar muitas vezes, gosto muito de ti. És e sempre serás a minha eterna companheira.
Que a vida te traga o melhor que nela tem e que a felicidade caminhe lado a lado contigo,
Parabéns J.
 

 
Espero que nos voltemos a encontrar, quanto mais não seja em Setembro.
Adoro-te minha pequenina!
 


Sem comentários:

Enviar um comentário