8 de agosto de 2015

Desabafo

*,
Esta é uma mensagem díficil para mim sobretudo porque não era assim que eu imaginava as coisas. Desculpa deixar-te de coração tão pequenino e desculpa não estar contigo agora. Na verdade eu não vou poder estar contigo. Sei que um dia, num outro mundo nos voltaremos a cruzar, mas não neste. A minha existencia não tem porquê senão mostrar a quem passa na minha vida, que a dor também existe. É como se fosse um sinal para que aproveitem tudo o que de bom têm ou que ficam como eu. Eu sou um conjunto de más energias e tu precisas de estar rodeada de boas..ou vou estragar todo o trabalho que tiveram contigo e tu mesma contigo até agora. Eu adorei conhecer-te, adorei saber o que é a verdadeira força. Gostei ainda mais de saber que o mundo não está só rodeado de pessoas más que há ainda, embora poucas, pessoas boas. Como tu!
Quando estiveres a ler isto, pára. Não tentes fazer nada, não te procures, não te massacres. Não há nada que possas fazer. É uma opção minha que só a mim me diz respeito. Se fui eu que decidi aprender a andar, a falar, a ler, a escrever e tantas outras coisas, se fui eu a dar continuação à minha vida, também posso ser eu a por-lhe fim.
Gostava que não existisse a lembrança, para que pudesse desaparecer das vossas cabeças e dos vossos corações, mas isso só o tempo pode fazer.
Sabes, há tanta coisa errada em mim... Faço tudo mal, tudo ao contrário. Quanto mais tento que se orgulhem de mim, pior faço. Eu não desejo a ninguem que passe pelo que eu passei. Que saiba e que sinta o que é passar dias e dias calada para que não te notassem e mesmo assim, ser motivo de humilhaçao. Não desejo a ninguem que passe o tempo que deveria estar a conviver com a turma, trancada numa casa de banho para não levar com olhares e risos... Não desejo a ninguem que tenha vontade de acabar com a propria vida como eu tenho com a minha. Sofri tnto tempo por ser diferente, por pensar e agir de maneira diferente que quis ser comum, quis ser uma rapriga normal da minha idade. Quis fazer tudo e mais alguma coisa que se faz nestas idades...mas aconteceu tudo outra vez, so que desta vez, sofri por ser igual. Por ser farinha do mesmo saco. Afastei tudo e todos, perdi tudo. Não me resta nada.
Há pouco quando te disse que não podias fazer nada...na verdade podes. Podes ser feliz por ti e por mim. Podes fazer isso? Eu sei que sim! Lembra-te que sempre foste um grande orgulho para mim.
Sabes? Levo-te para sempre no meu coração. Desculpa.

2 comentários: