26 de maio de 2016

Soube-me bem, é isso que importa.

(...)Tinha acabado de tocar e fui lá fora fumar, nada de novo até aqui. Quando cheguei lá fora vi um amigo meu e a minha reação foi imediata. Levantei a mão e dei-lhe um estalo. Não medi a força. Não medi sequer o que fiz. Não tinha motivo nenhum para o fazer, não estava magoada ou chateada com ele mas naquele momento, soube-me bem. Não por ser ele. Mas sei lá, soube-me bem, tão bem...


2 comentários: